terça-feira, 13 de outubro de 2015

Músicas que Escuto #002 - Sabes Que Eu Te Amo (DANIEL LÜDTKE)

Olá galera. 
A música que gostaria de compartilhar com vocês hoje é de um cantor adventista (Igreja Adventista do Sétimo Dia) Daniel Lüdtke (se pronuncia lídique). 

É incrível, parece que todos que fazem parte da Adventista, nascem predestinados a saberem cantar :)
Sou "fã" de muitos cantores adventistas como, Leonardo Gonçalves, Daniela Araújo, Laura Morena, Arautos do Rei, Prisma Brasil (de origem adventista) entre outros, além do estilo cantado por eles. 

A música cantada por Daniel faz parte do seu DVD Jesus Luz Do Mundo que é muito bem produzido e bem descontraído. Sabes Que Eu Te Amo, faz referência a Pedro que nega a Jesus 3 vezes e que após a ressurreição, Jesus o questiona 3 vezes, também, se ele o amava.
Espero que gostem ;)


segunda-feira, 12 de outubro de 2015

EXTERNANDO-ME #004


CAMINHADA 

Sabe a caminhada?
Eu nunca disse que ia ser fácil
Nunca disse que sorriria sempre!
Mas é quando começamos que percebemos,
Percebemos como realmente é difícil.

Enfrentar os obstáculos
Enfrentar pessoas; sentimentos.
Uma luta constante e sem certeza de vitórias
Cair torna-se algo rotineiro
Formam-se ferimentos, ficam cicatrizes, muitas marcas.

A queda pode ter sido forte
O machucado profundo
A dor insuportável
Mas eu levantei
Deixei minhas feridas serem tratadas
De dor em dor
Elas foram curadas.

E como diz o poeta:
"Tudo que chega, chega por alguma razão!"
E até mesmo a dor
Pode um dia trazer alívio ao coração!

Wilton Lima

A ESCOLHA CERTA


O que é verdadeiro não se perde com o tempo, não se irrita com a dúvida, nem se afasta com a mudança. Aos poucos tenho descoberto quão mutável somos nós, tão grande a facilidade que temos em deixar de acreditar nos nossos ideais, em nós mesmos. Não sei se considero isso algo ruim, mas é uma fragilidade quase que unânime.

A mudança faz parte da vida diária do homem, a todo momento somos tentados a mudar de opinião, a deixar de crer naquilo que tanto defendíamos, a mudar padrões estabelecidos há tempos e que para nós faziam muito sentido. E quase sempre cedemos!

É onde está o perigo da mudança; quando ela é influenciada, quando não parte de uma convicção, da certeza que é necessário mudar. Quando mudamos para o outro, para agradar quem queremos manter perto, é quase como colocar uma máscara e cobrir quem realmente somos. 

Não podemos decidir pela mudança pensando, simplesmente, no que querem de nós, mas no que queremos e podemos ser, e no que acreditamos ser verdadeiro. Essa nem sempre é a melhor escolha, muito menos a mais confortável, mas acredito ser a escolha certa. 

Daí, o que for verdadeiro, permanece!

Wilton Lima

sábado, 10 de outubro de 2015

UBUNTU TODOS OS DIAS

Quando assisti este vídeo a primeira vez me emocionei... 
Não irei discorrer sobre o mesmo, assista e tire suas conclusões! 

Abraço!!
Ubuntu Todos Os Dias, Ame Todos Os Dias!

Crer e Pensar #002 - LIBERTAÇÃO DA IGREJA BRASILEIRA

Olá galera, em uma breve introdução do texto Crer e Pensar de hoje, trago junto essa imagem que muito tem a falar. Faz referência à Reforma Protestante, comemorada no dia 31 de outubro, dia em que Martinho Lutero afixou na porta da Catedral de Wittenberg 95 teses no ano de 1517, propondo uma disputa escolástica (um debate) sobre elas. Esse fato marca o início da Reforma. Durante esse mês irei estar portando algumas coisa fazendo referência e esse momento que marcou a história da Igreja. 
Boa Leitura!!


Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará! 
Mais claro do que isso é impossível. 
Só através do conhecimento da verdade é que nos libertaremos do mal que nos aprisiona. 

Infelizmente, a Igreja Evangélica Brasileira vive em uma prisão que a cada dia nos parece ser ainda mais reforçada. A prisão da idolatria ao homem. Da busca pela fama, pelo dinheiro e de toda sorte de heresias plantadas Brasil à fora. A Teologia da Prosperidade, por exemplo, tem ganhado mais seguidores, seguidores estes, que antes pregavam contra. Pessoas com a capacidade de influenciar e manipular. 

O Evangelho vive um momento muito delicado. Momento em que a glória de Deus foi substituída pela glória do homem. Músicas que antes tinham a finalidade de engrandecer e exaltar o nome de Jesus, hoje servem para elevar o ego humano, para propagar a vingança e o poder das palavras. 
O misticismo tem invadido com grande força os nossos arraiais e levado muitos a apostatar da fé.
A fé no poder de objetos consagrados é outro ponto forte neste EVANGELHO FABRICADO. Lenços, meias, velas, toalhas, água e óleos servem como instrumentos de cura, de prosperidade e libertação. Tudo isso carregado de um sacrifico, na maioria das vezes, em dinheiro, fazendo desse “evangelho” uma moeda de troca. 

A confiança nas palavras dos pastores, dos bispos, dos apóstolos, dos profetas e dos ministros têm tido mais importância e influência do que as palavras do próprio Cristo. 
Têm-se criado super homens, com palavra infalível e inquestionável. 
Homens que não aceitam críticas e que acham-se acima do bem e do mal.
Homens que esqueceram o seu chamado, se vendaram e se entregaram ao amor pelo dinheiro, pelo prazer do sucesso e reconhecimento. 

Quanto aos “fiéis”, continuam descendo ladeira abaixo; vazios de Deus. 
Vazios por não buscarem conhecimento, por não buscarem a Verdade! 
A busca maior é pela cura e não pelo Deus que cura. 
Busca-se com intensidade a prosperidade e não o Deus que nos faz prosperar. 
Sacrificam-se pela liberdade, mas deixam de lado o Deus Libertador! 

Por isso, Deus disse que o seu povo se perde por falta de conhecimento, por não examinar as Escrituras (Oseias 4.6).
Precisamos rever esse evangelho. 
Precisamos com urgência de uma REFORMA na Igreja brasileira.
Precisamos de um verdadeiro e genuíno avivamento, alicerçado no amor. 
Precisamos ser como os Crentes de Beréia (Atos 17.10-11)
Viver um Evangelho consciente e íntegro. 
Um evangelho que a emoção não se sobreponha à razão e nem a razão à emoção. 

Que nossa oração seja esta, a Libertação da Igreja Brasileira. 
Mas para que haja libertação é necessário o conhecimento da verdade. E para que cheguem ao conhecimento da verdade precisamos sair do nosso conforto e combater com coragem e ousadia todos os males que tem assolado a Igreja. Combater as heresias que se proliferam com grande força e não calar nossa voz. 

Mostrar ao mundo o Evangelho verdadeira. O Evangelho que liberta e não o que aprisiona!


Lembrando sempre que CRER TAMBÉM É PENSAR!


Só a Deus, a Glória...

Wilton Lima

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

MÚSICA DO MUNDO, EU ESCUTO!

Olá galera... Como havia dito, estou trazendo hoje pra vocês um texto escrito em 2012, em reflexão a escutar ou não músicas não compostas e cantadas por cantores cristãos evangélicos, as chamadas no nosso meio de "Músicas do Mundo". Espero que curtam. 

É uma opinião :)


Ouvir ou não ouvir música do mundo? 
Muitos crentes dizem que é pecado ouvir a música chamada do "mundo". Outros ficam na dúvida. Uns não escutam por medo de punição divina, outros escutam escondidos e criticam quem escuta abertamente.

Quando despertei na adolescência e estava naquela fase das paixões e ilusões, escutava demais determinados cantores seculares. Porém, lembro que no auge dos meus 16 anos passei a condenar a música secular energicamente e em um determinado retiro de carnaval, cheguei a quebrar várias dos meus CD's de cantores "do mundo" e não mais escutava por minha vontade nenhuma música se não fosse gospel.

Radicalizei!

Assim como eu, sei que muitos agiram e agem dessa forma, achando ser o correto. Condenam veemente quem escuta música do mundo. Mas será realmente errado, será realmente pecado ouvir músicas que não forem gospel?

Quando enxerguei o caminho que a música gospel estava tomando e percebi quanta coisa ruim estava sendo cantada dentro das igrejas, cheguei a uma conclusão que levo comigo até hoje e não sei se chegarei novamente a mudar de opinião. Não consigo ver outros tipos de músicas ou estilos musicais diferenciados, pra mim existem, apenas, dois tipos de música: a boa e a ruim. 

Me libertei! 

Hoje escuto o que considero bom e agradável aos meus ouvidos, e isso não quer dizer que escuto o que eleva meu ego, o que me engrandece e sim a boa arte. Escuto sim, músicas que me ensinam, que me exortam e que consolam. E nem todas são gospel. Poderia citar muitas, mas não vem ao caso.
A música é uma das mais belas artes concedidas por Deus ao homem e deve ser valorizada, admirada e compartilhada.
Música gospel ou música do mundo; se for boa, vale à pena, se falar ao coração, vale à pena sim ouvir!

Por isso, eu escuto e indico a boa música brasileira.

Só a Deus, a Glória!

Wilton Lima

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Músicas Que Escuto #001 - A FESTA (IVO MOZART)

Olá galera...
Na tentativa de reativar o Assuntados estou voltando com algumas colunas semanais que já existiam antes da parada e modificações feitas no blog. Algumas como a Crer e Pensar, que é a base do blog, oriundo do clássico Crer é Também Pensar de John Stott já estar de volta, como, também, a Externando-Me, que trago poemas, vivencias minhas e algo do tipo.

E hoje, trago de volta as minhas preferências musicais em Músicas Que Escuto. Porém, quero antes ressaltar que para mim só existem dois tipos de músicas: as boas e as ruins. Independente do cantor ou estilo musical :)

Para os cristãos mais tradicionais trarei em outro momento um texto que falo sobre "Músicas do Mundo" ou secular, que não foram compostas e nem são cantadas por cantores evangélicos.

A música que compartilho com vocês hoje traz uma letra magnífica. A Festa, composição de Ivo Mozart em parceria com Di Ferrero e Pablo Dominguez, faz referência às crianças do GRAACC e conta com a participação daqueles que fazem um lindo trabalho social nos hospitais, a Operação Arco-Íris e os Palhaços Voluntários em Hospitais.

Curtam a música :)

♫♪♫ Vamos esquecer opiniões, cantar juntos todos os refrões, vamos fazer tudo acontecer... 
Quando a gente erra é pra aprender! ♫♪♫


quarta-feira, 7 de outubro de 2015

EXTERNANDO-ME #003


TEMPOS DE ESCOLA

Hoje, ao acordar, senti saudades do meu tempo de escola, não necessariamente da minha infância, mas dos meus últimos anos de ensino fundamental e médio. 

Recordei de algumas pessoas que significaram muito, professores que marcaram história na minha vida e pessoas que ainda hoje fazem parte da minha trajetória, mesmo que distantes. 

 A saudade me fez lembrar também, de brincadeiras, risos e momentos tão especiais que me fazem querer reviver tudo, querer ser quem um dia eu já fui. Sem tantas expectativas, tantas esperas e cobranças, sem tantas frustrações. 

Percebi, então, uma grande mudança em tudo, principalmente em mim. Planos, sonhos e caminhos foram mudados, nem sempre acertados, mas com o desejo de algo novo, com a vontade de ser livre e caminhar sozinho. Essas mudanças trouxeram consequências, nem todas foram boas. 

Mesmo com o desejo da volta entendi que as novas expectativas, tantas esperas e cobranças, que as muitas e dolorosas frustrações fazem parte de uma vida mais madura, mais livre e incrivelmente despreocupada. Fiz meus próprios pensamentos, minhas próprias decisões. 

Eu escolhi e segui! Errei muito nas escolhas, mas segui em frente!

Me tornei quem hoje sou. 
Quem realmente eu era ou deveria ser? 
Ainda não sei, mas vou continuar caminhando, vivendo momentos que serão algum dia, sempre, desejo da volta e dignos de recordações e eternas saudades.
Mas seguindo sempre em frente!

Wilton Lima

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

QUAL O VALOR DE UM AMIGO?


Todos os dias, eu tenho a certeza de como é raro ter um amigo. Alguém em quem posso confiar, compartilhar minhas dores, meus medos, meus desejos... Pessoas com a capacidade de me olhar com amor e sem acusações, mesmo quando meus ideais diferem dos seus.

Encontrar pessoas assim é difícil, pessoas que te olham sem preconceitos, que buscam o que você é e não o que você tem. Eu me alegro muito, porque mesmo sendo difícil encontrá-los, eu consegui encontrar alguns. Mesmo poucos, são pessoas que fazem uma grande diferença na minha vida.

Hoje eu entendo o que Salomão quis dizer (Eclesiastes 4.9 e 10). Não dá para viver só, precisamos de amigos, precisamos de pessoas que estejam do nosso lado na alegria e muito mais nos momentos de crises e que nos deem a mão para levantar. Eu não abro mão da companhia e carinho dos meus amigos e não abro mão de dedicar a eles toda atenção e amor!

É incalculável o seu valor e sua importância. É impagável tudo que recebi deles.

AMIGO! Esse nome já é um grande título, que deve ser usado com muito cuidado e dado só para quem realmente merece. 

Amizade eu sempre digo que aprendi e encontrei na dor, nos momentos de tristezas, por isso o cuidado e atenção inigualável dados à eles, meus amigos, os de longe e os de perto, de muito tempo e os de agora.

Por isso, em todo o tempo ama teu amigo e na hora da angústia nascerá um irmão. (Provérbios 17.17)

Wilton Lima

ATÉ QUANDO?


Assistindo alguns programas na televisão, minutos atrás, não tive como não me encher de um sentimento de incapacidade e impotência diante do fato de não podermos ou de não estarmos condicionados a fazer algo, a reagir.

Nada fazemos quando alguém desnorteado, bêbado e irresponsável provoca um acidente de carro. É só uma fatalidade, como sempre e corriqueiramente acontece.

Nada quando rios de dinheiro público (nosso dinheiro tão suado) são desviados para fins não públicos, mas pessoais e o pior, por aqueles que pomos como nossos representantes e a quem concedemos poder.

Nada quando nossas florestas são invadidas por fazendeiros, madeireiros e garimpeiros. Quando o fogo as consome e nossos índios são mortos quando submetidos a vírus do homem, do pobre homem que sob a ganância dos soberbos e ricos rumam uma trajetória triste, muitas vezes escrava e que envergonha nosso país no seio da terra ou em acampamentos rudimentares.

Nada quando milhares de quilômetros de matas são ameaçados pela necessidade de energia que o Brasil precisa para crescer. Mesmo quando pomos em risco a biodiversidade e povos locais. O que falar de Belo Monte?

Nada quando alteram as dezenas de PLs de um código florestal que não assegura continuidade à proteção já tão imperceptível.

Nada, nada fazemos.

Nada fazemos quando vemos propagandas pouco confiáveis revelando que a Educação deu um salto nos últimos anos e testemunhamos o fracasso e escassez de mão de obra em nossos postos de trabalho; quando os professores são confundidos com salteadores, até por necessidade para ver se alguém olha e diz: “Puxa, eles merecem sim um aumento de salário, merecem respeito!”. Quem vai esquecer dos últimos dias de greve dos professores estaduais do Ceará? Poucos lembrarão ano que vem!

Nada fazemos quando estamos em algum terminal e mesmo sob o estresse daquela aglomeração das “latas de sardinha” (os ônibus), surge alguma mãe com uma criança pendurada nos peitos moles sugando o que resta de leite. No máximo nos compadecemos e damos poucos centavos, enquanto na TV e mídias em geral os governos querem criar uma realidade boba de “está tudo bem”.

Nada fazemos quando vemos a morte nas filas de espera nos hospitais sucateados e de profissionais mal remunerados.

Nada fazemos até vivenciarmos o caos e descobrimos a triste tônica desta vida: existem aqueles que montam e aqueles que são montados.

Até em que ponto nos deixamos montar? Até em que momento vamos fingir que está tudo calmo?

Resposta: até o momento em que de fato fomos, direta e pessoalmente afetados.

Temos muito a aprender. Muito a empreender. Mas enquanto não nos focarmos em sermos melhores humanos, em nada obteremos êxito. Todos os esforços serão nulos.


Ignácio Albuquerque

Texto escrito em outubro de 2011