quarta-feira, 30 de setembro de 2015

EXTERNANDO-ME #002


O EVANGELHO

O Evangelho não é uma nota de medo e pavor. 
O Evangelho não é um instrumento que toca uma melodia triste, angustiada e aprisionada por leis e costumes humanos. 
O Evangelho é a mais linda canção, tocada pelo próprio Deus, composta em seu coração. 
Uma melodia leve e suave, que nos traz liberdade e faz brotar em nós o mais puro e sincero AMOR!
O Evangelho causa em nós uma alegria maior que qualquer prazer oferecido pelas drogas, pelo sexo, pela vida...
O Evangelho é o próprio Cristo habitando em nosso coração, fazendo-nos irmãos, sem diferenças, sem acusações... fazendo-nos UM!
O Evangelho é diferente de tudo isso que vemos na TV. Da benção em troca do dinheiro, de sacrifícios de tolos!

O Evangelho não é uma moeda de troca, não é um degrau para fama.
O Evangelho não é estar na igreja toda semana, louvando e ouvindo o que agrada e eleva o ego! 
O Evangelho é para ser vivido e compartilhado fora das quatro paredes, fora do conforto.
O Evangelho é simples e para todos. Não escolhe quem tem ou quem faz. 
O Evangelho é a mensagem de cura para a humanidade. Humanidade ferida pelo pecado, ferida pela falta do amor.

Deixe essa melodia, ritmada pelo AMOR, tocar em sua vida. 
Faça o mundo dançar essa valsa!

WILTON LIMA

Crer e Pensar #001 - UM EVANGELHO FABRICADO



Na busca de ver os templos lotados e na realização ministerial, muitos “líderes” abandonaram o Evangelho e passaram a pregar abobrinha. Passaram a usar estratégias para atrair mais e mais espectadores, esquecendo que a Palavra é suficiente para atrair o homem à Cristo.
Transformaram a Igreja em uma empresa, os crentes em consumidores e o Evangelho em um produto.

Claro que para se tornar um produto agradável a todos, foi preciso fazer algumas, ou melhor, muitas modificações no “produto” original. Como pouca coisa se aproveitava, fabricou-se então, um novo evangelho, um evangelho que agrada a quem ouve.
Um evangelho que transmite um deus que dá quando recebe e na medida em que recebe. Um deus que busca sacrifícios.
A Igreja então, sendo agora uma empresa, atraiu consumidores exigentes, que não mais doam por amor, mas esperando receber bem mais em troca.

Os cultos não são mais os mesmos.
Hoje tem culto pra tudo: Culto da Vitória, Culto da Libertação, Culto da Prosperidade, Culto (Sessão) do Descarrego, Culto da Benção, Culto das Causas Impossíveis, Culto de Avivamento e por aí vai...
Tudo isso para atender todos os gostos. 
Nesses cultos o foco principal é o homem, sempre vencendo, prosperando e quando isso não acontece, é devido a sua pouca fé, um pecado ou mesmo porque não contribuiu financeiramente.

O verdadeiro Avivamento, alicerçado e moldado no AMOR, foi trocado por um avivamento de emoções humanas, surgindo com ele muitas heresias.
A razão deixa de existir e o homem cheio da unção desse novo avivamento, pula, grita, roda como pião, imita animais, rola no chão, corre atrás de anjos e ri descontroladamente.

O problema desse Evangelho Fabricado é que seu efeito é passageiro e pode deixar muitas sequelas. 
Confesso que em nada me agrada e sinto até nojo do evangelho do homem. Estou farto de ver os “nossos” líderes trocarem um alimento saudável, nutritivo e saboroso por migalhas e bolotas que nem mesmo o mais indigno entre os homens merecia comer.

Estou farto! Quero voltar a ouvir a Palavra.
Palavra que traz vida e vida em abundância, pois Cristo é a própria Palavra e o sentido real do Evangelho Puro e Simples, como C.S. Lewis relatou em seu célebre livro "Cristianismo Puro e Simples".
Que nossa oração diária seja esta, a volta da Igreja ao Evangelho Verdadeiro, Puro e Simples.

Só a Deus, a Glória!


WILTON LIMA


Obs.: Texto escrito no começo de 2011

sábado, 5 de setembro de 2015

EXTERNANDO-ME #001

DESAFINOU


 

Não consigo me enganar
Não posso disfarçar.
Antes eu dançava levemente
Sorria pra guardar as lágrimas
Abraçava com dor, mas livremente.

Antes essa música me alegrava
Mesmo que sem verdades.
Dançava para agradar,
Bailava para suavizar, só para encantar!

Tudo era belo
As cores fluíam 
Todos sorriam!
Mas não era como melodia.

Descobri que por muito dancei fora do ritmo
Embalado por uma canção desafinada 
Por uma letra confusa
Sem verdade e nenhuma magia
Dancei porque alguém queria.

Minhas pernas hoje me obedecem
Não danço porque me pedem
Não amo de palavras
Não amo de abraços e nem de sorrisos!

Descobri uma nova canção
Uma canção com verdade
Embalada pela alegria
Afinada pelo amor
Com uma letra fascinante.
Essa, jamais desafinaria.

WILTON LIMA

UMA VIDA DEDICADA A OBRA DE DEUS

Crônica apresentada na jubilação do pastor David Machado no dia 29 de agosto de 2015 na Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Martinópole :)



Não lembro exatamente a primeira vez que o vi. Certamente eu era uma criança, mas a lembrança existe, mesmo que volúvel. 

Aqui eu nasci. Você me apresentou à igreja, à uma nova família que eu teria.

Lembro-me dos cultos festivos. Dia das mães, Natal... Momentos que são eternizados na memória ao ver fotos antigas e de relatos daqueles que nos acompanharam quando pequeninos.

Lembro-me do dia em que me batizou. Confesso que por muito demorei entender o significado de tal ato, de sua tamanha importância.

Não poderia esquecer, também, momentos marcantes quando ainda criança você me dava a oportunidade de cantar. “Somos soldados de Cristo, avante lhe damos louvores...” Como esquecer? Só cantava esse louvor!

As tantas viagens! Paracaú, Canto das Pedras, Carnaubal Preto, Várzea da Jurema, Jardim, Boa Vista. E as vezes que íamos à Lagoa do Curral e nos perdíamos na volta. Era sempre uma aventura, além de levar o amor de Cristo àqueles que estavam longe. Longe de Cristo e de uma igreja que não tinham perto.

Eu lembro de momentos, ensinamentos e discordâncias, afinal, nunca agradamos a todos. Nunca seremos unânimes. A discordância existia e pode até ainda existir, claro, mas o amor e respeito são maiores e mais intensos que qualquer coisa. 

Bom, muitos dizem, e eu tenho convicção disso, que eu falo muito, como, também, escrevo muito. Gostaria de relatar muitas coisas mais. Seria pouco o tempo, poucas as palavras e limitadas as expressões. 

35 anos. Praticamente todos que hoje fazem parte deste arraial são conquista sua. Resultados de lágrimas e persistência em vir cuidar das ovelhas que Deus lhe confiou.

Mais ainda quero e preciso lembrar; nenhuma arma planejada contra àquele que estar sob à vontade de Deus, mesmo que questionado, (jamais) será abalado.

Muitos tentaram e pelejaram contra você. Próximos e distantes! 

Salomão escreveu algo extraordinário: Tudo tem seu tempo e tem seu propósito debaixo dos céus. E nada acontece fora do tempo determinado por aquele a quem confiamos nossa vida. 

Hoje, não é o tempo da despedida, nem mesmo de um “até logo”. Mas é o tempo de honrar quem sempre dedicou coragem, a quem entregou-se como família, entregou sua saúde, ou falta dela, e tudo que lhe era possível fazer à obra de Deus. 

Nós como Igreja de Cristo em Martinópole, como povo escolhido e eleito que somos, seremos e devemos ser sempre gratos. Gratos pelo amor e dedicação que você dispôs durante uma vida.

Queria discorrer de tantos outros momentos que marcaram a história da Igreja em Martinópole. As perseguições sofridas. Dos irmãos que já se foram, mas que com você ajudaram a erigir esse rebanho, que se sustenta com as dificuldades de um mundo cada vez mais podre e escusado para a igreja. 

Mas tenho que ser conciso e cortês com os demais. 

Muitas histórias foram vividas, muitas hão de serem vividas e póstero a ser contadas. 

O apóstolo Paulo nos diz: 

“Deem a cada um o que lhe é devido: se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, o temor; se honra, a honra. Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros, pois aquele que ama seu próximo tem cumprido a Lei. ”

E a honra maior (Pastor David) será na Glória, quando formos por Cristo arrebatados. Lá nós teremos a maior honra. Não de coroas, de títulos ou de posições. Mas a honra maior, de estar eternamente com o Pai.

Que Deus possa continuar lhe abençoando.

Um abraço daquele que nasceu, cresceu e até hoje o tem como pastor! 


WILTON LIMA