terça-feira, 13 de outubro de 2015

Músicas que Escuto #002 - Sabes Que Eu Te Amo (DANIEL LÜDTKE)

Olá galera. 
A música que gostaria de compartilhar com vocês hoje é de um cantor adventista (Igreja Adventista do Sétimo Dia) Daniel Lüdtke (se pronuncia lídique). 

É incrível, parece que todos que fazem parte da Adventista, nascem predestinados a saberem cantar :)
Sou "fã" de muitos cantores adventistas como, Leonardo Gonçalves, Daniela Araújo, Laura Morena, Arautos do Rei, Prisma Brasil (de origem adventista) entre outros, além do estilo cantado por eles. 

A música cantada por Daniel faz parte do seu DVD Jesus Luz Do Mundo que é muito bem produzido e bem descontraído. Sabes Que Eu Te Amo, faz referência a Pedro que nega a Jesus 3 vezes e que após a ressurreição, Jesus o questiona 3 vezes, também, se ele o amava.
Espero que gostem ;)


segunda-feira, 12 de outubro de 2015

EXTERNANDO-ME #004


CAMINHADA 

Sabe a caminhada?
Eu nunca disse que ia ser fácil
Nunca disse que sorriria sempre!
Mas é quando começamos que percebemos,
Percebemos como realmente é difícil.

Enfrentar os obstáculos
Enfrentar pessoas; sentimentos.
Uma luta constante e sem certeza de vitórias
Cair torna-se algo rotineiro
Formam-se ferimentos, ficam cicatrizes, muitas marcas.

A queda pode ter sido forte
O machucado profundo
A dor insuportável
Mas eu levantei
Deixei minhas feridas serem tratadas
De dor em dor
Elas foram curadas.

E como diz o poeta:
"Tudo que chega, chega por alguma razão!"
E até mesmo a dor
Pode um dia trazer alívio ao coração!

Wilton Lima

A ESCOLHA CERTA


O que é verdadeiro não se perde com o tempo, não se irrita com a dúvida, nem se afasta com a mudança. Aos poucos tenho descoberto quão mutável somos nós, tão grande a facilidade que temos em deixar de acreditar nos nossos ideais, em nós mesmos. Não sei se considero isso algo ruim, mas é uma fragilidade quase que unânime.

A mudança faz parte da vida diária do homem, a todo momento somos tentados a mudar de opinião, a deixar de crer naquilo que tanto defendíamos, a mudar padrões estabelecidos há tempos e que para nós faziam muito sentido. E quase sempre cedemos!

É onde está o perigo da mudança; quando ela é influenciada, quando não parte de uma convicção, da certeza que é necessário mudar. Quando mudamos para o outro, para agradar quem queremos manter perto, é quase como colocar uma máscara e cobrir quem realmente somos. 

Não podemos decidir pela mudança pensando, simplesmente, no que querem de nós, mas no que queremos e podemos ser, e no que acreditamos ser verdadeiro. Essa nem sempre é a melhor escolha, muito menos a mais confortável, mas acredito ser a escolha certa. 

Daí, o que for verdadeiro, permanece!

Wilton Lima

sábado, 10 de outubro de 2015

UBUNTU TODOS OS DIAS

Quando assisti este vídeo a primeira vez me emocionei... 
Não irei discorrer sobre o mesmo, assista e tire suas conclusões! 

Abraço!!
Ubuntu Todos Os Dias, Ame Todos Os Dias!

Crer e Pensar #002 - LIBERTAÇÃO DA IGREJA BRASILEIRA

Olá galera, em uma breve introdução do texto Crer e Pensar de hoje, trago junto essa imagem que muito tem a falar. Faz referência à Reforma Protestante, comemorada no dia 31 de outubro, dia em que Martinho Lutero afixou na porta da Catedral de Wittenberg 95 teses no ano de 1517, propondo uma disputa escolástica (um debate) sobre elas. Esse fato marca o início da Reforma. Durante esse mês irei estar portando algumas coisa fazendo referência e esse momento que marcou a história da Igreja. 
Boa Leitura!!


Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará! 
Mais claro do que isso é impossível. 
Só através do conhecimento da verdade é que nos libertaremos do mal que nos aprisiona. 

Infelizmente, a Igreja Evangélica Brasileira vive em uma prisão que a cada dia nos parece ser ainda mais reforçada. A prisão da idolatria ao homem. Da busca pela fama, pelo dinheiro e de toda sorte de heresias plantadas Brasil à fora. A Teologia da Prosperidade, por exemplo, tem ganhado mais seguidores, seguidores estes, que antes pregavam contra. Pessoas com a capacidade de influenciar e manipular. 

O Evangelho vive um momento muito delicado. Momento em que a glória de Deus foi substituída pela glória do homem. Músicas que antes tinham a finalidade de engrandecer e exaltar o nome de Jesus, hoje servem para elevar o ego humano, para propagar a vingança e o poder das palavras. 
O misticismo tem invadido com grande força os nossos arraiais e levado muitos a apostatar da fé.
A fé no poder de objetos consagrados é outro ponto forte neste EVANGELHO FABRICADO. Lenços, meias, velas, toalhas, água e óleos servem como instrumentos de cura, de prosperidade e libertação. Tudo isso carregado de um sacrifico, na maioria das vezes, em dinheiro, fazendo desse “evangelho” uma moeda de troca. 

A confiança nas palavras dos pastores, dos bispos, dos apóstolos, dos profetas e dos ministros têm tido mais importância e influência do que as palavras do próprio Cristo. 
Têm-se criado super homens, com palavra infalível e inquestionável. 
Homens que não aceitam críticas e que acham-se acima do bem e do mal.
Homens que esqueceram o seu chamado, se vendaram e se entregaram ao amor pelo dinheiro, pelo prazer do sucesso e reconhecimento. 

Quanto aos “fiéis”, continuam descendo ladeira abaixo; vazios de Deus. 
Vazios por não buscarem conhecimento, por não buscarem a Verdade! 
A busca maior é pela cura e não pelo Deus que cura. 
Busca-se com intensidade a prosperidade e não o Deus que nos faz prosperar. 
Sacrificam-se pela liberdade, mas deixam de lado o Deus Libertador! 

Por isso, Deus disse que o seu povo se perde por falta de conhecimento, por não examinar as Escrituras (Oseias 4.6).
Precisamos rever esse evangelho. 
Precisamos com urgência de uma REFORMA na Igreja brasileira.
Precisamos de um verdadeiro e genuíno avivamento, alicerçado no amor. 
Precisamos ser como os Crentes de Beréia (Atos 17.10-11)
Viver um Evangelho consciente e íntegro. 
Um evangelho que a emoção não se sobreponha à razão e nem a razão à emoção. 

Que nossa oração seja esta, a Libertação da Igreja Brasileira. 
Mas para que haja libertação é necessário o conhecimento da verdade. E para que cheguem ao conhecimento da verdade precisamos sair do nosso conforto e combater com coragem e ousadia todos os males que tem assolado a Igreja. Combater as heresias que se proliferam com grande força e não calar nossa voz. 

Mostrar ao mundo o Evangelho verdadeira. O Evangelho que liberta e não o que aprisiona!


Lembrando sempre que CRER TAMBÉM É PENSAR!


Só a Deus, a Glória...

Wilton Lima

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

MÚSICA DO MUNDO, EU ESCUTO!

Olá galera... Como havia dito, estou trazendo hoje pra vocês um texto escrito em 2012, em reflexão a escutar ou não músicas não compostas e cantadas por cantores cristãos evangélicos, as chamadas no nosso meio de "Músicas do Mundo". Espero que curtam. 

É uma opinião :)


Ouvir ou não ouvir música do mundo? 
Muitos crentes dizem que é pecado ouvir a música chamada do "mundo". Outros ficam na dúvida. Uns não escutam por medo de punição divina, outros escutam escondidos e criticam quem escuta abertamente.

Quando despertei na adolescência e estava naquela fase das paixões e ilusões, escutava demais determinados cantores seculares. Porém, lembro que no auge dos meus 16 anos passei a condenar a música secular energicamente e em um determinado retiro de carnaval, cheguei a quebrar várias dos meus CD's de cantores "do mundo" e não mais escutava por minha vontade nenhuma música se não fosse gospel.

Radicalizei!

Assim como eu, sei que muitos agiram e agem dessa forma, achando ser o correto. Condenam veemente quem escuta música do mundo. Mas será realmente errado, será realmente pecado ouvir músicas que não forem gospel?

Quando enxerguei o caminho que a música gospel estava tomando e percebi quanta coisa ruim estava sendo cantada dentro das igrejas, cheguei a uma conclusão que levo comigo até hoje e não sei se chegarei novamente a mudar de opinião. Não consigo ver outros tipos de músicas ou estilos musicais diferenciados, pra mim existem, apenas, dois tipos de música: a boa e a ruim. 

Me libertei! 

Hoje escuto o que considero bom e agradável aos meus ouvidos, e isso não quer dizer que escuto o que eleva meu ego, o que me engrandece e sim a boa arte. Escuto sim, músicas que me ensinam, que me exortam e que consolam. E nem todas são gospel. Poderia citar muitas, mas não vem ao caso.
A música é uma das mais belas artes concedidas por Deus ao homem e deve ser valorizada, admirada e compartilhada.
Música gospel ou música do mundo; se for boa, vale à pena, se falar ao coração, vale à pena sim ouvir!

Por isso, eu escuto e indico a boa música brasileira.

Só a Deus, a Glória!

Wilton Lima

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Músicas Que Escuto #001 - A FESTA (IVO MOZART)

Olá galera...
Na tentativa de reativar o Assuntados estou voltando com algumas colunas semanais que já existiam antes da parada e modificações feitas no blog. Algumas como a Crer e Pensar, que é a base do blog, oriundo do clássico Crer é Também Pensar de John Stott já estar de volta, como, também, a Externando-Me, que trago poemas, vivencias minhas e algo do tipo.

E hoje, trago de volta as minhas preferências musicais em Músicas Que Escuto. Porém, quero antes ressaltar que para mim só existem dois tipos de músicas: as boas e as ruins. Independente do cantor ou estilo musical :)

Para os cristãos mais tradicionais trarei em outro momento um texto que falo sobre "Músicas do Mundo" ou secular, que não foram compostas e nem são cantadas por cantores evangélicos.

A música que compartilho com vocês hoje traz uma letra magnífica. A Festa, composição de Ivo Mozart em parceria com Di Ferrero e Pablo Dominguez, faz referência às crianças do GRAACC e conta com a participação daqueles que fazem um lindo trabalho social nos hospitais, a Operação Arco-Íris e os Palhaços Voluntários em Hospitais.

Curtam a música :)

♫♪♫ Vamos esquecer opiniões, cantar juntos todos os refrões, vamos fazer tudo acontecer... 
Quando a gente erra é pra aprender! ♫♪♫


quarta-feira, 7 de outubro de 2015

EXTERNANDO-ME #003


TEMPOS DE ESCOLA

Hoje, ao acordar, senti saudades do meu tempo de escola, não necessariamente da minha infância, mas dos meus últimos anos de ensino fundamental e médio. 

Recordei de algumas pessoas que significaram muito, professores que marcaram história na minha vida e pessoas que ainda hoje fazem parte da minha trajetória, mesmo que distantes. 

 A saudade me fez lembrar também, de brincadeiras, risos e momentos tão especiais que me fazem querer reviver tudo, querer ser quem um dia eu já fui. Sem tantas expectativas, tantas esperas e cobranças, sem tantas frustrações. 

Percebi, então, uma grande mudança em tudo, principalmente em mim. Planos, sonhos e caminhos foram mudados, nem sempre acertados, mas com o desejo de algo novo, com a vontade de ser livre e caminhar sozinho. Essas mudanças trouxeram consequências, nem todas foram boas. 

Mesmo com o desejo da volta entendi que as novas expectativas, tantas esperas e cobranças, que as muitas e dolorosas frustrações fazem parte de uma vida mais madura, mais livre e incrivelmente despreocupada. Fiz meus próprios pensamentos, minhas próprias decisões. 

Eu escolhi e segui! Errei muito nas escolhas, mas segui em frente!

Me tornei quem hoje sou. 
Quem realmente eu era ou deveria ser? 
Ainda não sei, mas vou continuar caminhando, vivendo momentos que serão algum dia, sempre, desejo da volta e dignos de recordações e eternas saudades.
Mas seguindo sempre em frente!

Wilton Lima

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

QUAL O VALOR DE UM AMIGO?


Todos os dias, eu tenho a certeza de como é raro ter um amigo. Alguém em quem posso confiar, compartilhar minhas dores, meus medos, meus desejos... Pessoas com a capacidade de me olhar com amor e sem acusações, mesmo quando meus ideais diferem dos seus.

Encontrar pessoas assim é difícil, pessoas que te olham sem preconceitos, que buscam o que você é e não o que você tem. Eu me alegro muito, porque mesmo sendo difícil encontrá-los, eu consegui encontrar alguns. Mesmo poucos, são pessoas que fazem uma grande diferença na minha vida.

Hoje eu entendo o que Salomão quis dizer (Eclesiastes 4.9 e 10). Não dá para viver só, precisamos de amigos, precisamos de pessoas que estejam do nosso lado na alegria e muito mais nos momentos de crises e que nos deem a mão para levantar. Eu não abro mão da companhia e carinho dos meus amigos e não abro mão de dedicar a eles toda atenção e amor!

É incalculável o seu valor e sua importância. É impagável tudo que recebi deles.

AMIGO! Esse nome já é um grande título, que deve ser usado com muito cuidado e dado só para quem realmente merece. 

Amizade eu sempre digo que aprendi e encontrei na dor, nos momentos de tristezas, por isso o cuidado e atenção inigualável dados à eles, meus amigos, os de longe e os de perto, de muito tempo e os de agora.

Por isso, em todo o tempo ama teu amigo e na hora da angústia nascerá um irmão. (Provérbios 17.17)

Wilton Lima

ATÉ QUANDO?


Assistindo alguns programas na televisão, minutos atrás, não tive como não me encher de um sentimento de incapacidade e impotência diante do fato de não podermos ou de não estarmos condicionados a fazer algo, a reagir.

Nada fazemos quando alguém desnorteado, bêbado e irresponsável provoca um acidente de carro. É só uma fatalidade, como sempre e corriqueiramente acontece.

Nada quando rios de dinheiro público (nosso dinheiro tão suado) são desviados para fins não públicos, mas pessoais e o pior, por aqueles que pomos como nossos representantes e a quem concedemos poder.

Nada quando nossas florestas são invadidas por fazendeiros, madeireiros e garimpeiros. Quando o fogo as consome e nossos índios são mortos quando submetidos a vírus do homem, do pobre homem que sob a ganância dos soberbos e ricos rumam uma trajetória triste, muitas vezes escrava e que envergonha nosso país no seio da terra ou em acampamentos rudimentares.

Nada quando milhares de quilômetros de matas são ameaçados pela necessidade de energia que o Brasil precisa para crescer. Mesmo quando pomos em risco a biodiversidade e povos locais. O que falar de Belo Monte?

Nada quando alteram as dezenas de PLs de um código florestal que não assegura continuidade à proteção já tão imperceptível.

Nada, nada fazemos.

Nada fazemos quando vemos propagandas pouco confiáveis revelando que a Educação deu um salto nos últimos anos e testemunhamos o fracasso e escassez de mão de obra em nossos postos de trabalho; quando os professores são confundidos com salteadores, até por necessidade para ver se alguém olha e diz: “Puxa, eles merecem sim um aumento de salário, merecem respeito!”. Quem vai esquecer dos últimos dias de greve dos professores estaduais do Ceará? Poucos lembrarão ano que vem!

Nada fazemos quando estamos em algum terminal e mesmo sob o estresse daquela aglomeração das “latas de sardinha” (os ônibus), surge alguma mãe com uma criança pendurada nos peitos moles sugando o que resta de leite. No máximo nos compadecemos e damos poucos centavos, enquanto na TV e mídias em geral os governos querem criar uma realidade boba de “está tudo bem”.

Nada fazemos quando vemos a morte nas filas de espera nos hospitais sucateados e de profissionais mal remunerados.

Nada fazemos até vivenciarmos o caos e descobrimos a triste tônica desta vida: existem aqueles que montam e aqueles que são montados.

Até em que ponto nos deixamos montar? Até em que momento vamos fingir que está tudo calmo?

Resposta: até o momento em que de fato fomos, direta e pessoalmente afetados.

Temos muito a aprender. Muito a empreender. Mas enquanto não nos focarmos em sermos melhores humanos, em nada obteremos êxito. Todos os esforços serão nulos.


Ignácio Albuquerque

Texto escrito em outubro de 2011

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

EXTERNANDO-ME #002


O EVANGELHO

O Evangelho não é uma nota de medo e pavor. 
O Evangelho não é um instrumento que toca uma melodia triste, angustiada e aprisionada por leis e costumes humanos. 
O Evangelho é a mais linda canção, tocada pelo próprio Deus, composta em seu coração. 
Uma melodia leve e suave, que nos traz liberdade e faz brotar em nós o mais puro e sincero AMOR!
O Evangelho causa em nós uma alegria maior que qualquer prazer oferecido pelas drogas, pelo sexo, pela vida...
O Evangelho é o próprio Cristo habitando em nosso coração, fazendo-nos irmãos, sem diferenças, sem acusações... fazendo-nos UM!
O Evangelho é diferente de tudo isso que vemos na TV. Da benção em troca do dinheiro, de sacrifícios de tolos!

O Evangelho não é uma moeda de troca, não é um degrau para fama.
O Evangelho não é estar na igreja toda semana, louvando e ouvindo o que agrada e eleva o ego! 
O Evangelho é para ser vivido e compartilhado fora das quatro paredes, fora do conforto.
O Evangelho é simples e para todos. Não escolhe quem tem ou quem faz. 
O Evangelho é a mensagem de cura para a humanidade. Humanidade ferida pelo pecado, ferida pela falta do amor.

Deixe essa melodia, ritmada pelo AMOR, tocar em sua vida. 
Faça o mundo dançar essa valsa!

WILTON LIMA

Crer e Pensar #001 - UM EVANGELHO FABRICADO



Na busca de ver os templos lotados e na realização ministerial, muitos “líderes” abandonaram o Evangelho e passaram a pregar abobrinha. Passaram a usar estratégias para atrair mais e mais espectadores, esquecendo que a Palavra é suficiente para atrair o homem à Cristo.
Transformaram a Igreja em uma empresa, os crentes em consumidores e o Evangelho em um produto.

Claro que para se tornar um produto agradável a todos, foi preciso fazer algumas, ou melhor, muitas modificações no “produto” original. Como pouca coisa se aproveitava, fabricou-se então, um novo evangelho, um evangelho que agrada a quem ouve.
Um evangelho que transmite um deus que dá quando recebe e na medida em que recebe. Um deus que busca sacrifícios.
A Igreja então, sendo agora uma empresa, atraiu consumidores exigentes, que não mais doam por amor, mas esperando receber bem mais em troca.

Os cultos não são mais os mesmos.
Hoje tem culto pra tudo: Culto da Vitória, Culto da Libertação, Culto da Prosperidade, Culto (Sessão) do Descarrego, Culto da Benção, Culto das Causas Impossíveis, Culto de Avivamento e por aí vai...
Tudo isso para atender todos os gostos. 
Nesses cultos o foco principal é o homem, sempre vencendo, prosperando e quando isso não acontece, é devido a sua pouca fé, um pecado ou mesmo porque não contribuiu financeiramente.

O verdadeiro Avivamento, alicerçado e moldado no AMOR, foi trocado por um avivamento de emoções humanas, surgindo com ele muitas heresias.
A razão deixa de existir e o homem cheio da unção desse novo avivamento, pula, grita, roda como pião, imita animais, rola no chão, corre atrás de anjos e ri descontroladamente.

O problema desse Evangelho Fabricado é que seu efeito é passageiro e pode deixar muitas sequelas. 
Confesso que em nada me agrada e sinto até nojo do evangelho do homem. Estou farto de ver os “nossos” líderes trocarem um alimento saudável, nutritivo e saboroso por migalhas e bolotas que nem mesmo o mais indigno entre os homens merecia comer.

Estou farto! Quero voltar a ouvir a Palavra.
Palavra que traz vida e vida em abundância, pois Cristo é a própria Palavra e o sentido real do Evangelho Puro e Simples, como C.S. Lewis relatou em seu célebre livro "Cristianismo Puro e Simples".
Que nossa oração diária seja esta, a volta da Igreja ao Evangelho Verdadeiro, Puro e Simples.

Só a Deus, a Glória!


WILTON LIMA


Obs.: Texto escrito no começo de 2011

sábado, 5 de setembro de 2015

EXTERNANDO-ME #001

DESAFINOU


 

Não consigo me enganar
Não posso disfarçar.
Antes eu dançava levemente
Sorria pra guardar as lágrimas
Abraçava com dor, mas livremente.

Antes essa música me alegrava
Mesmo que sem verdades.
Dançava para agradar,
Bailava para suavizar, só para encantar!

Tudo era belo
As cores fluíam 
Todos sorriam!
Mas não era como melodia.

Descobri que por muito dancei fora do ritmo
Embalado por uma canção desafinada 
Por uma letra confusa
Sem verdade e nenhuma magia
Dancei porque alguém queria.

Minhas pernas hoje me obedecem
Não danço porque me pedem
Não amo de palavras
Não amo de abraços e nem de sorrisos!

Descobri uma nova canção
Uma canção com verdade
Embalada pela alegria
Afinada pelo amor
Com uma letra fascinante.
Essa, jamais desafinaria.

WILTON LIMA

UMA VIDA DEDICADA A OBRA DE DEUS

Crônica apresentada na jubilação do pastor David Machado no dia 29 de agosto de 2015 na Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Martinópole :)



Não lembro exatamente a primeira vez que o vi. Certamente eu era uma criança, mas a lembrança existe, mesmo que volúvel. 

Aqui eu nasci. Você me apresentou à igreja, à uma nova família que eu teria.

Lembro-me dos cultos festivos. Dia das mães, Natal... Momentos que são eternizados na memória ao ver fotos antigas e de relatos daqueles que nos acompanharam quando pequeninos.

Lembro-me do dia em que me batizou. Confesso que por muito demorei entender o significado de tal ato, de sua tamanha importância.

Não poderia esquecer, também, momentos marcantes quando ainda criança você me dava a oportunidade de cantar. “Somos soldados de Cristo, avante lhe damos louvores...” Como esquecer? Só cantava esse louvor!

As tantas viagens! Paracaú, Canto das Pedras, Carnaubal Preto, Várzea da Jurema, Jardim, Boa Vista. E as vezes que íamos à Lagoa do Curral e nos perdíamos na volta. Era sempre uma aventura, além de levar o amor de Cristo àqueles que estavam longe. Longe de Cristo e de uma igreja que não tinham perto.

Eu lembro de momentos, ensinamentos e discordâncias, afinal, nunca agradamos a todos. Nunca seremos unânimes. A discordância existia e pode até ainda existir, claro, mas o amor e respeito são maiores e mais intensos que qualquer coisa. 

Bom, muitos dizem, e eu tenho convicção disso, que eu falo muito, como, também, escrevo muito. Gostaria de relatar muitas coisas mais. Seria pouco o tempo, poucas as palavras e limitadas as expressões. 

35 anos. Praticamente todos que hoje fazem parte deste arraial são conquista sua. Resultados de lágrimas e persistência em vir cuidar das ovelhas que Deus lhe confiou.

Mais ainda quero e preciso lembrar; nenhuma arma planejada contra àquele que estar sob à vontade de Deus, mesmo que questionado, (jamais) será abalado.

Muitos tentaram e pelejaram contra você. Próximos e distantes! 

Salomão escreveu algo extraordinário: Tudo tem seu tempo e tem seu propósito debaixo dos céus. E nada acontece fora do tempo determinado por aquele a quem confiamos nossa vida. 

Hoje, não é o tempo da despedida, nem mesmo de um “até logo”. Mas é o tempo de honrar quem sempre dedicou coragem, a quem entregou-se como família, entregou sua saúde, ou falta dela, e tudo que lhe era possível fazer à obra de Deus. 

Nós como Igreja de Cristo em Martinópole, como povo escolhido e eleito que somos, seremos e devemos ser sempre gratos. Gratos pelo amor e dedicação que você dispôs durante uma vida.

Queria discorrer de tantos outros momentos que marcaram a história da Igreja em Martinópole. As perseguições sofridas. Dos irmãos que já se foram, mas que com você ajudaram a erigir esse rebanho, que se sustenta com as dificuldades de um mundo cada vez mais podre e escusado para a igreja. 

Mas tenho que ser conciso e cortês com os demais. 

Muitas histórias foram vividas, muitas hão de serem vividas e póstero a ser contadas. 

O apóstolo Paulo nos diz: 

“Deem a cada um o que lhe é devido: se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, o temor; se honra, a honra. Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros, pois aquele que ama seu próximo tem cumprido a Lei. ”

E a honra maior (Pastor David) será na Glória, quando formos por Cristo arrebatados. Lá nós teremos a maior honra. Não de coroas, de títulos ou de posições. Mas a honra maior, de estar eternamente com o Pai.

Que Deus possa continuar lhe abençoando.

Um abraço daquele que nasceu, cresceu e até hoje o tem como pastor! 


WILTON LIMA

sexta-feira, 12 de junho de 2015

SHAKESPEAREZANDO














[...] 

É quando você aprende que determinadas lutas não são dignas de serem lutadas, que lágrimas não precisam ser derramadas e pessoas não merecem ser conquistadas. 


Você aprende que laços podem e devem ser quebrados, mesmo que pareçam firmes e importantes pra você. Aprende que não precisa mudar para agradar, não precisa disfarçar para sorrir como quer. 

Chega um momento que você aprende a deixar a máscara de lado e viver quem você realmente é, não se importando para quem discorda e quer vê-lo com uma máscara. 

Tire a máscara do seu sorriso, do seu olhar e do seu pensamento. 

Viva livre. Sem culpas e medo de ter medos. 

O medo vai sempre existir e pode ser a arma para vencer os obstáculos que aparecem na caminhada.

Então, você aprende que precisa viver conforme seus ideais e não escondê-los por medo do não, por medo do desprezo ou aversão. 

Você entende que para ser feliz precisa amar, simplesmente amar, sem esperar reciprocidade com a mesma intensidade da qual você aspira.

Não espere que venham até você, corra atrás de quem e do que busca!

WILTON LIMA

quinta-feira, 11 de junho de 2015

MEU DEUS É SOBERANO















Lembro quando eu era criança e ouvia das pessoas coisas do tipo, “o futuro a Deus pertence”. Cresci sabendo que Deus é o dono do meu futuro. Ele, e apenas Ele conhece-o plenamente. E se eu pensasse diferente, seria complicado crer nesse Deus!

Minha esperança é saber que mesmo sofrendo com as lutas e perseguições aqui na terra, enquanto Cristão, elas findarão quando Cristo voltar e me levar para uma morada eterna, onde não haverá mais pranto, tristezas, nem dores. Será uma alegria eterna!

Duvidar e até mesmo negar a Soberania de Deus, seria estar tão distante Dele, quanto o céu da terra. Acreditar em um “deus” que abre mão de conhecer o futuro para se tornar um pouco mais humano e se relacionar com o homem é querer se igualar à Ele. 

Supondo que Deus não seja Soberano, minha esperança morreria. Minha alegria acabaria. E a certeza de um dia morar no céu, deixaria de existir.

E como ser feliz num mundo tão incerto, que nem mesmo Deus pode nos trazer as respostas?

Eu prefiro crer no DEUS SOBERANO que cuida de mim, que tem minha vida em suas mãos e que sabe do meu fim, bem antes mesmo de eu vir a existir.

Eu prefiro acreditar que Deus tem o controle de todas as coisas e que nada acontece se não for por seu consentimento. 

Eu prefiro crer no DEUS SOBERANO que estar de braços abertos pra mim.
Eu prefiro crer no DEUS que não tem os ouvidos tampados pra que não possa me ouvir.

Não consigo acreditar e me render a um deus frágil que fica de braços cruzados, olhando o sofrimento humano, torcendo pra que tudo dê certo.
Não consigo crer em um deus mentiroso.
Não consigo crer em um deus relativo 

Entender Deus com nossas limitações é como querer voar sem asas ou andar sem pernas.
Não podemos compreendê-Lo, nem explicá-Lo pelo nosso tempo. 
Nós estamos presos ao tempo, Ele, porém, comanda o tempo e estar presente em todo o tempo.
Ele está no passado, no presente e no futuro. 
Nós nos limitamos ao agora!

Deus não precisa se tornar um pouco humano para se relacionar conosco.
Deus não precisa ser rebaixado pelo homem pra compreender nossa dor.

Ele nos criou, conhece nossa estrutura, sabe que somos pó e nos entende como ninguém!
Compreende a nossa dor e melhor, não nos deixa sofrer em vão, não nos deixa caminhar sozinhos, sem esperança e sem futuro. 
O meu Deus estar presente em todo momento, no meu passado, no meu presente e tem o meu futuro em Suas mãos. 

O meu Deus é Soberano e o seu?

WILTON LIMA

terça-feira, 9 de junho de 2015

CAMINHAR É PRECISO


A tristeza é um sentimento traiçoeiro e chega nos momentos mais incertos e confusos da vida. Chega quando não deveria chegar! 
Quem nunca chorou? 
Quem nunca sofreu? 
É preciso aprender a conviver com a dor.
É preciso aprender a viver em dor!

Caminhando em busca da felicidade e por dias melhores, me deparo meio ao caminho com situações variadas, algumas adversas e conflitantes. 
Parei, confesso que parei! 
A falta de experiência me fez temer e querer voltar. Quando olhei ao redor notei que grande parte dos que comigo caminhavam, desistiram de mim e simplesmente me deixaram. 
O medo tomou conta do meu ser e a vontade de voltar correndo aumentou, fiquei como num barco à deriva, vazio e sem leme.

A solidão tornou-se companheira e confidente, a dor sentimento rotineiro. 
Nada mais fazia sentido e eu ainda ali parado. 
Olhava para o grande mar a minha volta, de dias calmos e outros tenebrosos. 
Já nem sabia se era dor o que sentia ou se alegria já não existia! 
Eu só fiquei lá, parado!

Meus olhos se abriram, passei a enxergar minha dor e mesmo não compreendendo aceitei o caminho que tomei. Analisei as situações que me fizeram parar, então olhei pra trás e já não tinha vontade de voltar, eu já temia o passado. Mas eu não podia continuar a caminhada. O caminho era áspero, espinhoso e às vezes caudaloso. 
Mas tinha algo que me parecia estranho e complexo de entender. Eu olhava além das dificuldades e dos obstáculos do caminho e bem além, quase onde meus olhos não podiam enxergar, eu via algo brilhante, conseguia ver, mesmo que com dificuldade e embaraçado, um rio com águas tranquilas e eu via um colorido que em nenhuma primavera pude ver. Eu percebi que a imagem era mais nítida ao me colocar de pé e ainda mais real quando um passo eu dei. 

Então dei outro passo e mais outro e outro... 

A caminhada continua, a imagem ainda estar logo, agora um pouco menos embaraçada e parece mesmo ser real. 
Eu já acredito que é real!

WILTON LIMA

UM POUCO DA CAMINHADA


Quando descobri que a caminhada seria longa e que o percurso não seria muito agradável, fiquei indeciso! 
Eu Buscava conforto, buscava certezas e sorrisos. 
Fiquei frustrado ao ver um caminho diferente do que sonhei e pedi.
Mesmo assim, decidi ir. 
Havia uma promessa que aliviava meus medos, uma promessa que me fazia esquecer as dificuldades.

Os primeiros passos me fizeram achar que a caminhada seria fácil e prazerosa. 
Sorrisos e prestígio me cercavam, amigos "sobravam", era tudo primavera! 
Eu já não me lembrava das promessas, a alegria do momento era o meu foco. Porém, aos poucos as pedras surgiram e comecei a tropeçar.
Meus pés se feriram e a dor começou. 
Logo os amigos partiram e ficou um vazio enorme, parecia que não podia sem eles, parecia estar sozinho e sem forças. 
A cada passo um novo desafio.
Surgiu então, uma louca vontade de desistir e voltar ao momento de conforto e alegrias, onde os amigos existiam e as lágrimas não molhavam meu rosto.

Mas continuei a caminhada.
Por várias vezes eu cai e pensei em voltar, mas fui aprendendo a conviver com a dor, aprendendo a não depender da reciprocidade.
Entendi que eu não precisava fingir uma identidade, bastava ser eu mesmo. 
E ser eu mesmo me trouxe consequências inesperadas. 
Trouxe também, os verdadeiros amigos, que não fogem na angústia, que não riem da minha dor.

Aprendi a duras perdas e muitas lágrimas derramadas que é preciso continuar, alegre ou triste, cercado de amigos ou sozinho.
Aprendi que só eu posso dá meus próprios passos, mas que é bom ter alguém que na queda, nos ajude a levantar.

Entendi que não posso sozinho, mas que alguns passos serão dados sem ninguém por perto!
Hoje consegui lembrar as promessas e elas voltaram a me dá forças, me ajudar a seguir em frente, seguir em busca da minha coroa, em busca da alegria verdadeira.
Alegria que não passa, não morre e nem se esconde.

Bom, sei que ainda posso tropeçar e até mesmo cair, mas eu sei que vou levantar e ser melhor!

WILTON LIMA

quinta-feira, 4 de junho de 2015

DISCORDAR

Discordar de uma opinião ou ação não nos torna certos. Precisamos aprender a viver com as diferenças, seja ela qual for. Mesmo que tenhamos o direito, garantido por lei, de expressar nossa opinião, precisamos emiti-las sempre respeitando a liberdade do outro.

Discordar não nos torna necessariamente inimigos, como não nos torna uma espécie de ditadores quando não aceitamos uma discordância, nos faz apenas pessoas sem preparo para viver em sociedade.

Discordar não é errado.
Discordar não é feio.

Discordar é ser corajoso ao lutar conta uma cultura (sociedade) maltratada, decaída e aparentemente sem jeito!

Discordar não é humilhar, porém é coragem em propagar suas verdades, mesmo sabendo e tendo que compreender as discordâncias de outros, que sempre existirão.

Discordar é entender a não aceitação.

Discordar é saber viver em uma “democracia” cada vez mais cheia de pessoas que discordam e querem espalhar suas verdades, porém, é preciso saber que a nossa verdade é nossa e não de todos, mas é, também, esperar que muitos aceitem essa verdade e nos ajudem nessa tão incompreensível e complicada caminhada.

WILTON LIMA

quinta-feira, 28 de maio de 2015

TEMPO DE SE AFASTAR


Caminhamos lado a lado com pessoas iguais a nós.

Pessoas que sonham, planejam um futuro brilhante, amam, odeiam, machucam e que ajudam a curar feridas.

Passamos por situações em que a vontade que surge em nosso coração é de desistir, de abandonar todos os nossos sonhos e projetos e seguir uma vida vazia e sem sentido. Situações essas, que muitas vezes são geradas por pessoas que caminham conosco, pessoas que aprendemos a amar e compartilhar momentos marcantes. Pessoas imperfeitas e fáceis ao erro. Pessoas que precisam de nós, do nosso amor e oração!

Mas certas situações nos pedem uma atitude mais drástica: o afastamento!
E afastar-se não significa deixar de amar, não significa odiar.

Salomão ao escrever o livro de Eclesiastes, afirma existir tempo para todo propósito debaixo dos céus. Assim como existe o tempo de nascer, existe o tempo de morrer. E há momentos que precisamos abraçar e outros que precisamos nos afastar do abraçar.
E o afastamento não significa também se isolar.

É simplesmente um momento que você tem que parar, pensar e orar para que o ódio e a mágoa não deem frutos.

Alguns momentos isso vai ser preciso.
Se afaste sim, mas nunca desista!!

WILTON LIMA

quarta-feira, 27 de maio de 2015

SEM FUNCIONAMENTO

UBS está há dois meses, após inauguração, sem funcionar 

No dia 25 de Março de 2015, a Prefeitura Municipal de Martinópole, inaugurou o prédio da Unidade Básica de Saúde Sebastião Dentista. O prédio tem uma estrutura moderna e atraente, porém, dois meses após a inauguração, nada funciona. Não há equipamentos, nem mesmo há profissionais contratos para atender à população martinopolense. A obra foi inaugurada sem estar totalmente pronta e não existe previsão de quando a UBS começará a funcionar. 
O que esperamos é que a população receba de volta, através de obras (inauguradas e funcionando), os altos impostos pagos ao governo. 

A obra custou aproximadamente 500 mil reais, foi inaugurada com um longo atraso e ainda, sem estar pronta.



quinta-feira, 16 de abril de 2015

ANIVERSÁRIO DO CORAÇÃO BOM

O eterno prefeito de Martinópole comemora seus 74 anos


Ele, que ficou conhecido como o "Chico Besta" (por ser muito bom com todos), chega aos 74 anos de vida, com muito trabalho prestado à nossa cidade, muitas obras concluídas e entregues à população martinopolense. 

Francisco Fontenele Viana foi prefeito de Martinópole por 3 mandatos. Em 1992, quebrou uma força que administrava a cidade há vários anos, liderada pelo saudoso Dário Campos Feijó. Tendo candidatado seu vice, José Nilson à prefeito nas eleições de 1996, ganha, mas o então prefeito eleito, passa ter Fontenele como seu opositor. 

José Nilson fica no poder por 8 anos e como Fontenele o colocou no posto, assim também, o tirou em 2004, ficando no cargo até 2012, quando entregou ao atual prefeito.


O nosso Coração Bom, como é chamado pela família, amigos e admiradores do político, tem enfrentado muita perseguição, por parte daqueles que tentam sujar sua imagem na cidade, mesmo assim, não desiste de lutar e continuar lutando pelo bem daqueles que sempre o apoiaram. Confiam nele, a esperança da volta de uma Martinópole mais justa e igualitária. 

O nosso desejo é que Deus lhe conceda força e muita saúde, que o "Coração Bom" continue conosco por muitos anos e que sempre seja feita a vontade daquele que é maior que qualquer administrador nessa terra. 


Parabéns, muita alegria e confiança sempre, é o que desejamos ao nosso prefeito, sempre prefeito Fontenele, o Coração Bom.

WILTON LIMA

domingo, 15 de março de 2015

INSENSIBILIDADE MARTINOPOLENSE


Ontem, nossa cidade viveu um clima tenso, com duas mortes de forma triste. Final da tarde, um homem sofreu um acidente de motocicleta e veio a óbito. Já no final da noite, uma adolescente de aproximadamente 15 anos enforcou-se, em sua própria residência. 

Sem entrar em discussão sobre as causas da morte e suicídio, venho referir-me a frieza de uma população, que praticamente todos se conhecem e que até podem ser amigos. Até às 2h da manhã de hoje, aproximadamente, muitos estavam num clube com o som em uma altura meio que exagerada, o próprio proprietário chegou a ir no local onde a jovem havia tirado sua vida e mesmo assim, não respeitando a dor das famílias continuou com a festa.

Acredito e ouso comparar essa frieza, com aquela que os espectadores tinham em ver os milhares e milhares de cristãos, que foram mortos no Coliseu de Roma.

A morte, por mais explicação que possamos achar ter, sempre haverá tristeza e solidariedade com aqueles que ficam a sofrer. Ainda mais em uma cidade pequena como a nossa. 

Tristeza e luto, junto com essas famílias. Que Deus possa consolá-los e ajudá-los em superar a dor da perda.